terça-feira, 1 de setembro de 2020

8 Brincadeiras simples para fazer em casa com as crianças


Mais de 60% das crianças que terminam o ensino fundamental  não consegue ler e escrever palavras bisilábicas, explica a Neuropsicopedagoga Lidiane Leite.
 

Segundo Lidiane Leite, o grande problema da educação é que as crianças estão indo para o processo de alfabetização sem ter as habilidades necessárias.”Muitas crianças estão sendo alfabetizadas, entretanto, não possuem consciência fonológica, vocabulário e nem fluência de leitura. Sem ter essas habilidades preditoras fica muito difícil alfabetizar. Por  isso é muito importante trabalhar os sons das palavras antes de apresentar as letras.  Sem contar que essas habilidades não são inatas elas precisam ser desenvolvidas. ”
 
De acordo com a Neuropsicopedagoga Lidiane Leite é na primeira infância que devemos estimular as funções executivas para se ter um raciocínio matemático.”Sempre oriento as pessoas nos meus cursos e palestras que dos 3 anos até os 5 anos, precisamos estimular muito as funções executivas. A atenção sustentada e memória de trabalho são crucias para a criança ler, escrever e fazer cálculos.”
 
Para Lidiane Leite, o grande problema é que as crianças estão sendo alfabetizadas cada vez mais cedo e as crianças estão brincando menos.”As escolas estão cada vez mais cedo apresentando a letra bastão e cursiva e a maioria dessas crianças não tem um bom repertório motor.  Contudo, elas não possuem uma maturidade neuropsicomotora adequada para serem alfabetizadas.  As crianças precisam ter um bom tônus, um bom equilíbrio, lateralidade e uma orientação espacial e temporal. Sem ter essa base psicomotora a alfabetização não ocorre corretamente.”
 
Para contribuir e ajudar os pais, a especialista Lidiane Leite recomenda 08 brincadeiras simples para fazer em casa e desenvolver as crianças.
 
01 -  Peça para a criança falar em 2 minutos o máximo de palavras que ela lembre. Depois peça para ela dizer o maior número de palavras com a letra F. E por fim, peça para a criança dizer em 2 minutos todas as frutas ou animais que ela lembrar.  
 
02 - Separe 4 objetos dentro da sua casa e diga o nome de cada um deles. Depois solicite a criança inventar uma história incluindo todos os objetos que você mostrou. Verificar se ela inclui todos e se a história que ela criou tem começo meio e fim.
 
03 - Pegue vários potes diferentes com suas tampas e misture tudo dentro de um saco. Peça para a criança localizar a tampa certa de cada pote plástico e depois fechar. O ideal é que cada pote seja diferente na cor,  no tamanho e na forma. Lembrando sempre de lavar muito bem e higienizar os potes e tampas.
 
04 - Pegue uma figura de revista, ou um desenho da internet e recorte em 4 pedaços tornando assim um quebra-cabeça. Peça para a criança colocar em ordem as figuras para formar a imagem. Se você tiver um baralho que não usa mais, recorte algumas cartas em 4 pedaços e as misture. Peça para a criança montar as cartas como um quebra-cabeça.
 
05 - Diga para a criança repetir os números que você falar sem alterar a ordem. Exemplo 2 e 5. A criança repete 2 e 5. Depois você pede para ela repetir invertendo os números. Exemplo 9 e 1. A criança deverá dizer 1 e 9. Esse tipo de brincadeiras trabalha a memória de trabalho.  
 
06 - Peça para a criança ficar 10 segundos de pontinha de pé sem se mexer. Depois ficar como o saci por 10 segundos também sem se mexer e por fim ficar com os pés juntos e as mãos apoiadas nas costas, flexionar o tronco em ângulo reto e ficar parada por 10 segundos.  Essas posições ajudam muito a trabalhar o equilíbrio, um fator psicomotor muito importante.
 
07 - Pegar vários sapatos, chinelos e tênis em casa e misturar todos espalhando no chão.  Peça para a criança identificar os pares iguais. Depois de identificar  todos os pares dos calçados, a criança devera guardar. Mostre 3 sacos e peça para ela colocar em cada sacola um tipo de calçado. Ou seja, em um saco vai guardar os chinelos, o outro os tênis e por fim os sapatos.
 
08 - Diga 2 frases simples e curtas para a criança. De forma clara, nítida e sem intervalo. Depois de ouvir as duas frases a criança vai ter que repetir a última palavra de cada frase. Por exemplo: O cavalo é preto. O leite esta na geladeira. A criança vai ter que dizer preto e geladeira.
 
A Neuropiscopedagoga alerta que se tiver atraso na linguagem oral, os pais devem procurar um profissional para fazer uma avaliação com uma fonoaudióloga e até quem sabe um audiometria com o otorrino. 
 
 
 
Lidiane Leite - Jornalista, pedagoga e neuropsicopedagoga. Atualmente está cursando pós-graduação em psicomotricidade. Possui vários cursos de aperfeiçoamento na área da Educação e da Psicologia. Atualmente, faz avaliações e intervenções no seu consultório. Ministra palestras e cursos sobre educação e comportamento infantil. Escreve artigos e é autora do livro-caixinha "Cadê o Resultado?" publicado pela Editora Matrix. 
Site:lidianeleite.com.br - Youtube: Neurociencias com Lidiane Leite Instagram: @lidiane_neuropsicopedagoga