sábado, 15 de fevereiro de 2020

Neuropsicopedagoga Lidiane Leite concede entrevista ao vivo na Rádio Cidade Jundiai

A Neuropsicopedagoga Lidiane Leite, concedeu nesta sexta-feira (14), entrevista à Rádio Cidade Jundiaí, dentro do programa “Show e Cia", apresentado pelo Radialista Paulinho Mauricio. A especialista falou que o sono é uma etapa crucial no processo de aprendizagem, já que o cérebro durante a noite faz uma reorganização interna. 

Durante a entrevista, Lidiane explicou sobre o processo de consolidação da memória que ocorre no Sono REN e também que a luz do celular antes de dormir interrompe a produção de melatonina, o hormônio responsável pelo sono.

Neurpsicopedagoga Lidiane Leite respondeu ao vivo a várias perguntas do Paulinho e ressaltou que muitas crianças estão recebendo diagnóstico de Transtorno de Déficit de Atenção só que na verdade muitas delas estão com privação de sono.  Repetiu várias vezes que nem sempre a falta de atenção é um transtorno. Muitas vezes as funções cognitivas e executivas estão sendo prejudicadas  pelo sono inadequado, pela fome e também pelo stress.

A especialista recomendou a todos os ouvintes procurarem um otorrino para verificar a respiração e solicitar uma polissonografia. Dessa maneira, a criança pode dar uma guinada de 180º. Os pais precisam saber se a criança está respirando pelo nariz corretamente e se ela durante a noite está passando por todas as fases do sono e conseguindo desta maneira gravar o que aprendeu durante o dia.

A Neuropsicopedagoga Lidiane Leite finalizou dizendo que considera a privação do sono um dos grandes problemas do nosso século.


Clique aqui, e ouça a primeira parte da entrevista.

Clique Aqui, e ouça a segunda parte da entrevista.

Clique aqui, e ouça a terceira parte da entrevista.

Clique Aqui, e ouça a quarta parte da entrevista.


sábado, 1 de fevereiro de 2020

Neuropsicopedagoga Lidiane Leite começa a Pós-Graduação Em Psicomotricidade

É com muita alegria e felicidade que começo a Pós-Graduação Em Psicomotricidade.

Vão ser dois anos novamente estudando e me aperfeiçoando para atender melhor as crianças e adolescentes.

Com certeza vou ter aulas incríveis com:

  • Prof. Dr. Rubens Wajnsztejn (Neurologista) – FMABC;
  • Prof. Ms. Silvia Baltieri (Psicomotricista) – FMABC;
  • Prof. Dr. Miguel Angelo Boarati;
  • Profa. Ms. Lilian Chateau (Fisioterapeuta, Psicomotricista);
  • Prof. Dr. Dráuzio Viegas (Pediatra) – FMABC;
  • Prof. Dr. Fernando Nório Arita (Neuropediatra) – Santa Casa SP;
  • Profa. Dra. Marlene Busetti (Neuroanatomia) – FMABC;
  • Profa. Ms. Daniella Pereira Robbi (Psicopedagoga);
  • Prof. Esp. Amanda Fernaine Drager (Terapeuta Ocupacional);
  • Dra. Tais Schiavinato Chiarinelli (Fisioterapeuta, Psicomotricista);

sábado, 18 de janeiro de 2020

Lidiane Leite está feliz com seu trabalho e com sua nova formação.


Estou muito feliz de estar formada, ter meu carimbo e dizer que hoje eu sou uma neuropsicopedagoga. Faço o meu trabalho com respeito, ternura e dentro dos princípios éticos da nossa profissão.

Concordo com o trecho do livro da Fátima Ap. Gonçalves, “Na infância contemporânea, a criança faz menor uso do seu corpo em explorações no espaço e na manipulação de objetos no seu entorno social. Em contrapartida a isto, os currículos escolares propõe o início da escrita bastão e cursiva cada vez mais cedo, normalmente em uma fase em que as crianças ainda não estão com a maturidade neuropsicomotora desenvolvida para tal”. 

Continuarei o meu trabalho com esses pilares:
RESPEITO e ÉTICA
TRANSPARÊNCIA  e AMOR
DEDICAÇÃO e COMPROMETIMENTO
PACIÊNCIA e POSITIVIDADE 
HONESTIDADE e PROFISSIONALISMO
COMPETÊNCIA e CREDIBILIDADE

sábado, 4 de janeiro de 2020

Neuropsicopedagoga Lidiane Lite termina o curso na UNIP


Parafraseando a frase do Stanislas Dehaene, “a neurociência deve ir para a sala de aula”, apesar de concordar com ele, acrescento nessa frase os consultórios dos profissionais da área da saúde também. Quem faz avaliação precisa estudar e saber como funciona o sistema nervoso e como ele processa e armazena as informações. Sem esse conhecimento, não é possível obter uma avaliação correta e realizar uma intervenção adequada e funcional.
            O grande segredo para o sucesso da nossa avaliação clinica na UNIP foi que estávamos preparadas, não ficamos presas na queixa e ficamos atentas aos sinais. Desta maneira, conseguimos descobrir as verdadeiras alterações e pudemos fazer intervenções no problema e não nos sintomas.
            A Neurocientista Adele Diamond fala nos congressos e nas revistas que: “Funções executivas cerebrais são habilidades essenciais para a saúde mental e física e para o desenvolvimento cognitivo, social e psicológico.” Segundo ela, as funções executivas ficam prejudicadas se a pessoa estiver estressada, triste, solitária, privada de sono, ou fora de forma.
            Nosso paciente era sozinho, sofria bullying, não dormia bem e não se alimentava direito. Mostramos para a família que essa realidade precisa mudar para que ele possa se desenvolver e crescer. Durante as férias recomendamos a família para continuar as intervenções estimulando ele através dos aplicativos do celular indicado por nós, fazer o tratamento da cabine, mudar de escola e melhorar essa rotina dele.           
            Termino feliz, realizada e com sentimento de missão cumprida. Não tem preço ver o sorriso do paciente e a felicidade da avó na última sessão. Não tenho palavras para descrever a minha alegria de acompanhar a evolução dele. Finalizo aqui dizendo: Eu amo o que faço e faço com amor, ética e ternura.         
                                                                                                

quarta-feira, 25 de dezembro de 2019

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

Neuropsicopedagoga Lidiane Leite entrega trabalho final institucional na Unip


Nosso trabalho institucional foi avaliar uma creche em SP. E com base nos instrumentos que utilizamos para avaliação, percebemos que havia uma necessidade por parte das professoras em promover os estímulos adequados e aproveitar todas as vias sensoriais para promover às aprendizagens necessárias. Parafraseando o Educador e Pedagogo português da Escola da Ponte, Jose Pacheco, “hoje temos crianças do século 21, sendo educadas por professores do século 20, com métodos pedagógicos do século 19”.  Sendo assim, nossa hipótese foi de que havia uma carência no trabalho de desenvolvimento sensorial e motor das crianças de 3 a 6 anos na instituição, bem como as características do desempenho das habilidades motoras e sensoriais na faixa etária de 0 a 5 anos.
Com base em nossas leituras e pesquisas elaboramos um kit com brinquedos para que as professoras pudessem trabalhar no segundo semestre. Também preparamos um resumo do conteúdo e outras informações que consideramos importantes para que as professoras pudessem, depois, pesquisar e preparar as aulas com brincadeiras direcionadas e focadas nos problemas identificados.  
            Elaboramos um circuito multissensorial para realizar com as próprias professoras para que elas compreendessem a necessidade de trabalhar com as crianças as atividades bimanuais de manipulação de pequenos materiais, missangas, plástico bolha, conta gotas e bordados, que vão favorecer a aquisição ou aperfeiçoamento da coordenação motora fina. Durante as atividades no circuito usamos texturas diferentes.
            Por fim, realizamos brincadeiras que envolviam movimentos e coordenação motora grossa e equilíbrio. Acreditamos que crescer é um processo complexo. Tentamos mostrar aos professores que eles possuem uma grande importância para a formação da personalidade do aluno e compartilhamos um pouco do conhecimento adquirido no curso de especialização, para que as educadoras possam compreender melhor o desenvolvimento cerebral.
            Segundo Levi Montalcini (2008), o total desconhecimento da estrutura e funcionamento cerebral subjacente aos processos cognitivos da criança impediu, nos últimos séculos, a adição de práticas educacionais mais pertinentes e eficazes.       Nosso objetivo não foi sobrecarregar os professores da instituição, pelo contrário, foi de empoderar-lhes, sendo uma escolha deles de realizar ou não as tarefas propostas.
            Concordamos com as autoras Tara Losquadro Liddle e Lara Yorke (2007)  que revela em seu livro que a  chave, então, para ajudar seu filho a desenvolver todo o potencial é ser vigilante, mas não reagir demais ao comportamento dele - seja um recém nascido,  ou seja,  uma criança pequena. A maneira como ele reage aos estímulos diz muito sobre sua capacidade de processar e integrar novas informações. O comportamento dele é a janela para seu sistema nervoso.

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Neuropsicopedagoga Lidiane Leite visita a Editora Matrix em SP

Foi uma honra conhecer o Paulo Tadeu da Editora Matrix. Fiquei apaixonada pelos livros e pela sua editora.

Recomendo todo mundo entrar no site e comprar um livro. O preço é ótimo e cada livro diferente e variado. Tem pra todo mundo.

Foi um enorme prazer conhecer a editora de perto e tenho certeza que em 2020 teremos surpresas vindo por ai.

Em meu caminho Deus sempre colocou seres humanos especiais e o Paulo Tadeu é uma dessas pessoas.

Fica a dica pessoal. Quer bons livros e comprar com preço bacana. Tem que ir na editora Matrix.

Beijos e boas compras !!!!